Úrsula Corona ama trabalhar em Portugal

webmaster News

Úrsula Corona conta com uma carreira de já mais de 28 anos. A atriz brasileira, que se mudou para Portugal em 2011, assume-se como uma mulher empreendedora e de grandes causas.

Atualmente, divide-se entre a Europa e o Brasil onde, atualmente, está a preparar a série “O Mago Pop”. A atriz assume que é fã de Rita Blanco, Maria João Luís e Diogo Morgado. Uma das suas grandes vontades é a de trabalhar com Nuno Lopes.

A brasileira fala da polémica que envolve Wolf Maya sobre a afirmação relacionada com as novelas portuguesas e conta quais as principais diferenças entre as produções dos dois países.

“O Brasil tem quase o dobro de anos nas produções. Começou há mais tempo. Então tem um processo diferente. Não há melhor nem pior, apenas processos distintos.

O Brasil experimenta muito uma direção fotográfica fora da caixa e um figurino mais tropical. Outro aspeto é que gravamos com menos tempo de antecedência, o que faz os autores perceberem a resposta do público: qual a trama gostam mais, personagens, histórias. O Manuel Carlos (autor de “Páginas da Vida”), por exemplo, tinha dias em que chegava para gravar e gravávamos o texto na hora.

Às vezes em Portugal, por não se saber o retorno do público, acabam por não ter informação sobre as personagens que o público gosta e ter a oportunidade de explorar mais.

Uma outra questão são os episódios de um dia para o outro que não repetem os blocos finais de capítulo. Não há melhor nem pior, há apenas formatos diferentes.

Em Portugal, noto a união da equipa e vontade de todos de que o produto final seja um sucesso. Não há nada melhor o que trabalhar com essa energia. Nestes 28 anos de carreira afirmo que Portugal está num caminho lindo, maduro e desenhando uma assinatura que se destaca a cada ano. Está de parabéns, digno de orgulho.”

A atriz ainda confessou: “Eu amo trabalhar em Portugal, muito mais do que no Brasil. Amo o país, as pessoas e tenho uma segurança que não tenho no Brasil. Já fui assaltada voltando do Projac (estúdios da TV Globo) e isso deixou-me traumatizada.

Portugal merece muito respeito.”